"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O incrível Huck

Ginko Biloba

Como diria Sônia Abrão, coluna social e fofoca de televisão também é cultura! Brincadeira, ela não disse isso, eu acho, mas senti que precisava dizer alguma coisa.

Ontem estava ouvindo um programa de rádio (Caminhos Alternativos, já comentado aqui no blog) e um dos entrevistados era o fotógrafo Araquém Alcântara. O papo foi excelente e me chamou atenção quando ele comentou sobre a impotência que sente durante muitas vezes enquanto fotografas cenas perturbadoras (não Gerson perturbadoras, mas queimadas, injustiças etc.). Acho que muita gente pensa isso quando vê alguma situação perturbadora com a qual não podemos fazer nada ou não sabemos o quê fazer.

Aí, voltando para a coluna social e fofoca de TV, vi pelo twitter e pelo site da Patrícia Kogut, uma coisa que me chamou a atenção. Enquanto celebridades e artistas andam pra lá e pra cá em carros blindados, cheios de segurança e fugindo de paparazzi, um cara narigudo aparece em fotos no meio do complexo do Alemão, andando "de boa" e sendo seguido por uma multidão. Não é traficante e nem policial do Bope. Não, não é o Capitão (agora Coronel) Nascimento, mas é um cara que faz tanto bem para comunidades carentes que poderia ensinar muita gente. Quem assistiu o segundo filme do Incrível Hulck deve lembrar que ele começa no Brasil, treinando jiu-jitsu pra manter a calma e se escondendo em uma favela carioca. É claro que este posto é sobre o Luciano Huck. Desta vez ele não deu dinheiro pra ninguém, mas só a presença e a manifestação que ele faz, já é o tipo de coisa que mobiliza uma série de pessoas e recursos.

Já faz tempo que percebi isso, mas só agora caiu a ficha de escrever. É claro que ele ajuda uma parcela mínima da população que precisa, mas ele faz alguma coisa. Também não quero dizer que todo mundo deva dar um pouco do seu para um desconhecido "só" porque ele tem menos que você. Quero apenas admirar a capacidade que um cara como o Luciano Huck tem de promover isso. Desde a época do Agora ou Nunca, Lar Doce Lar e outros quadros que ele teve em seu programa ele mostra que é possível ajudar outras pessoas, e mais, sempre cobrando algo em troca. Ah, a cobrança é um desafio "baba" mas é simbólico para dizer que aquilo não está vindo de graça.

Guardadas as devidas proporções, acho que ele é a Oprah brasileira.

Pra quem não lembra, aí vão apenas algumas das histórias que fazem desse narigudo um cara do bem.

Ong de surf no Rio de Janeiro que ajuda crianças carentes.

Incentivo a educação por meio do quadro Soletrando.

A história da grande família Souza de Sergipe, que ajuda mais de 40 crianças.

Isso entre tantas outras me fazem pensar que, se eu fosse o Juca Kffuri, daria o Troféu Osmar Santos pra ele!

3 comentários:

=^.^= Muni =^.^-= disse...

Adori!

Anônimo disse...

Ele ajuda, sim, muita gente. Mas muito do que ele faz é para ter audiência. Me corrija se eu estiver errada, mas o sentimentalismo na TV não é responsável por segurar a atenção dos telespectadores? Quando o assunto é ajudar pessoas pobres, então, todos se comovem, enchem os olhos de lágrimas, se compadecem. E os índices do Ibope sobem às alturas. Luciano Faturando Hulk e a Globo saem felizes para sempre. As pessoas que eles ajudaram saem felizes para sempre. O mundo fica mais feliz e nós continuamos nossas vidas. Também acho legal o "Nariz Caridoso", mas será que não estamos fazendo, de forma errada, um marketeiro de mão cheia se parecer com um grande mártir, filantropo e digno de honrarias mil?
Só para constar, acho o Luciano um grande comunicador.

Pedro Senandes Simon disse...

É claro que isso faz parte de um plano para ganhar audiência sim. Mas não é bom quando todos saem ganhando? A pessoa ajudada ganha, ele ganha, a globo ganha, os anunciantes ganham e ninguém perde! Muito melhor do que levantar a audiência com tragédias ou dramas familiares falsos como programas de barraco e exames de DNA. Ele é sim um grande comunicador e tem muitas coisas copiadas de programas de fora, mas não se pode tirar o crédito de poder transformar tudo isso em ações positivas pra quem quer que seja!