"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



terça-feira, 4 de maio de 2010

Prouni

leda nius

O Prouni - programa federal para universitários carentes, é um benefício que quando alcançado torna-se o trampolim para a melhoria na vida de muitos jovens estudantes. Realizar o sonho de cursar uma faculdade particular com bolsa de estudo é como ter o passaporte para um futuro promissor, cabendo ao aluno arrumar as malas e trilhar o caminho desta "viagem".

Eu conheço algumas pessoas que, depois de estudar bastante, alcançar notas altas, obtiveram este benefício merecidamente. Acompanhei inclusive todo o processo de seleção e inscrição para entrar no Prouni, cada declaração, cada documento a ser comprovado e, embora as exigências sejam muitas, percebi que realmente não é impossível burlar o sistema de seleção. Uma simples "declaração" não garante nada.

Então, não me surpreende quando me deparo com o que foi noticiado no Fantástico no último domingo (02/01): em Maringá, três jovens de classe média alta, que moram em casas confortáveis com carros na garagem, cursavam Medicina na Uningá de graça desde 2008 com bolsa do Prouni. A mensalidade é de R$ 3.200. Juntas as alunas deixaram de pagar quase R$ 300 mil neste período.

Depois da denúncia a faculdade pediu o cancelamento do benefício das garotas, e poderá perder o acesso ao programa. As meninas, se condenadas poderão ter de restituir o dinheiro "ganho" aos cofres públicos.

É complicado! Quando o governo cria um programa bom desses, não cria suporte suficiente para que haja mais rigor na fiscalização. De que adianta um Prouni se não for para beneficiar quem realmente precisa? Se futucar, certamente muitos outros alunos seriam pegos!

No fim das contas, o tipo de atitude que essas meninas tiveram, guardadas as devidas proporções, são iguais às que somos submetidos todos os dias: não devolver o troco que veio a mais, furar fila, etc... São nessas pequenas atitudes que demonstramos nosso carater, nossa moral. Se conseguimos burlar o sistema nessas situações, não somos tão diferentes assim das aproveitadoras do Prouni.

Pense nisso.

4 comentários:

Aline Bueno disse...

Concordo plenamente. Os maiores culpados de as meninas estarem nesta situação embaraçosa, são os próprios pais que não souberam educar-las segundo a moral e os bons costumes. É claro que elas sabiam o que estavam fazendo, não estou tirando a culpa delas, mas se os pais tivessem ensinado que isso não é certo, elas não fariam.

Olá! disse...

Concordo minha cara jornalista, mas acrescentaria que mais do que um merecimento social e financeiro é necessário um merecimento por aptidão, por determinação, talvez o que alguns chamam de dom! Estar disposto e preparado para fazer a diferença no mercado de trabalho ou em sua comunidade é fundamental pra um jovem que no mínimo levou um belo empurrão para o futuro do seu país!

Norbert Steininger disse...

Ola!
Aviso para todos interessados em estudar via EAD.
NAO ESTUDEM NA UNINTER / Curitiba / Parana.
Esta faculdade NAO E SERIA. Ela pisa em seus direitos de aluno, nao entrega seu diploma e nem discute com voce, ignora voce total com imponencia, prepotencia e irresponsabilidade. Prejuizo total. Estudei 15 meses o MBA em Planejamento e Gestao estrategica e nao levo o MBA por culpa DELES e ainda me chamam de idiota chato. Assim nao se trata aluno que passou como melhor aluno da turma todas provas da POS na primeira com notas excellentes. Cade meus direitos, cade meu dinheiro pago pelo curso? Cade meu diploma. Eles simplesmente falam FODA SE. Escolhem outra faculdade seria, menos a UNINTER.
Para perguntas escrevem pra mim. n.steininger@bol.com.br
Norbert Steininger

YU disse...

Infelizmente, o ensino superior é para poucos sim, isso é realidade, e acreditar que o PROUNI é para estudantes pobres é ingenuidade, pois qual estudante com uma família que tenha renda inferior a 3 salários mínimos tem condições de se manter no curso de MEDICINA???? Temos essa realidade dentro de universidades estaduais tbm, estudantes provenientes de comunidades indígenas tem um vestibular diferenciado e o estado tem um programa em que pelo menos 20 vagas devem ser preenchidas, quantos estudantes indígenas temos no ensino superior??? E isso não só aqui no Paraná não, o programa é federal!!! São vagas ociosas pq não tem condições de se manterem enquanto estudantes, ou por diferenças culturais ou por dificuldades financeiras... então, não sei se o programa é tão bom assim!!!