"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Dia das crianças

leda nius
Oi... Meu nome é Ana, vou ser sua amiguinha. Mamãe vamos brincar? Com uma boneca que fala quase tudo, ter amigos parece quase dispensável. Esta é a realidade com a qual nos deparamos com a proximidade do dia das crianças.

Hoje os brinquedos estão cada vez mais modernos. A boneca decora o próprio nome, fala mais de sei lá quantas frases, expressa emoções, come papinha e faz caquinha... os vídeo games tem opções para você fazer um boneco com a sua “cara” e estar literalmente dentro do jogo... É tanta tecnologia que o velho e bom mundo real está ficando para trás.

Esta semana, aumentou a intensidade de propagandas voltadas aos pirralhos: são calçados com luzinhas, roupas com acessórios cada vez mais ousados, carrinhos que fazem manobras radicais, bonecos que lutam com monstros horríveis, bonecas que têm casa, castelo de cristal, carruagem, piscina, iate, balanço.... Tem para todos gostos e bolsos.

Barbie moderninha

O que aconteceu com as brincadeiras de roda? O quadro negro, o giz e as aulinhas que reuniam as amiguinhas? A corda para pular... No meu tempo era comum subir em árvores, brincar na terra ou então de pique-esconde.

Eu que tenho dois sobrinhos, fiquei pensando no que comprar. São tantas opções entre úteis e fúteis que fica difícil escolher. Acredito que a modernidade veio com a falta de preparação e disponibilidade dos pais. Não há mais tempo de ensinar a cantiga, de mostrar como era a brincadeira, de fazer em casa a própria pipa...fica mais fácil comprar um avião com controle remoto, um rádio com músicas da moda...

Com isso, a cultura se perde, perdem as crianças que deixam de aproveitar a riqueza e o prazer de curtir o simples, de dividir com o amiguinho, de ter contato com o mundo de verdade. E assim, aqui da nossa boca virtual, só posso desejar um feliz dia das crianças, que, devido à tanta modernidade, estão saindo desta importante fase cada vez mais cedo.

Então...comenta ai!

4 comentários:

Fernanda disse...

Adorei o texto, bem real msm!!!!!!! E hj, pela manhã, na escola em que trabalho, tivemos a comemoração do dia das crianças e adivinha só?? Eu e as outras professoras fizemos brincadeiras antigas com as crianças....brincadeiras de roda, de cordas, de bolas....nada de tecnologia, nada artificial...nem computadores, nem nada!

ELAS ADORARAMMMMMMM..isso que me surpreendeu...na hr de ir embora tdas as crianças queriam ficar mais e mais e mais..

Quem sabe a gente tá deixando isso td ir embora pq nos intimidamos com a velocidade que mtos brinquedos aparecem no mercado e a forma como eles encantam as crianças! Mas a pureza delas é fiel a mtos valores...

Pensamos nisso!!!!!!!!!

Anônimo disse...

É... pode ser, eu brincava de médico com as minhas primas quando era criança... hoje em dia, ainda quando crianças elas precisam ir ao médico de verdade, porque do que a gente brincava, ja deixou de ser brincadeira faz tempo.

Ѕмiтн disse...

O caso é que o ludismo de hoje sofreu alterações drásticas - e não apenas ele. Também somos adultos alterados. A vida publicitária encontra um meio de adaptar o ser humano à corrida informativa, à velocidade da evolução tecnológica, e cria produtos voltados ao entretenimento simples. Sim, porque a criatividade imaginativa custa tempo, e tempo sempre será dinheiro.

Ѕмiтн disse...

À propósito, belo blog!