"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Rio 2016 é?!

ginko biloba

Caros leitores, me desculpem pelo atraso na postagem. Com certeza, fosse este um esporte olímpico, eu poderia integrar a delegação brasileira e trazer mais um bronze pra cá!

Ironias à parte, me dei conta hoje da vergonha que é o esporte nacional. Não o nosso futebol, não o Cielo, nem o Diego Hipolyto, mas a conjuntura esportiva do Brasil.

O nosso país é candidato a sede das Olimpíadas do ano 2016, certo? Certo! E o que é que está sendo feito para isso?

O quadro de medalhas de Pequim é a maior prova de que resposta a essa pergunta é "NADA".

O esporte brasileiro está muito carente. Carente não de talentos ou de craques, mas de políticas públicas eficientes.

As desculpas para a falta de ouros ou de equipes nos jogos olímpicos é de que craques não podem jogar ou se recusam. Como assim?

Os jogadores brasileiros de basquete que se recusaram são treinados por times da NBA, a liga estadunidense. Os do futebol, mesmo limitados pela idade, jogam na Europa. O próprio Cielo, que trouxe a única medalha de ouro até agora, treina lá! Enquanto isso, os atletas brasileiros de verdade sofrem por aqui! E pior, os atletas brasileiros que poderiam representar o país em 2016 sequer têm condições de serem descobertos!

Quem vai jogar basquete em 2016, no Rio? O Leandrinho, o Varejão? Quem vai nadar no Rio daqui a 8 anos? Vamos fazer uma macumba pro Cielo, com 30 anos, conseguir 8 ouros? Quem vai disputar o torneio de tênis em 2016, já que o Guga se aposentou? Quem disputou o torneio de tênis este ano? Estes são alguns exemplos de que o esporte brasileiro está capenga e que em 2016 não vai estar nem isso!

É claro que ainda existe a função educativa do esporte, de manter as crianças longe das drogas, acabar com o sedentarismo, saúde preventiva, vários motivos para se apoiar o esporte. Mas parece que as autoridades e os candidatos a autoridades não vêem nenhum deles!

3 comentários:

Yú disse...

caro colega...eu ainda acredito naquele velho jargão: o importante é participar!!! E daí que nossos atletas não conseguem alcançar ao total de medalhas da China ou dos Estados Unidos?? Aliás, tem alguma possibilidade de comparação?? Eu acho que, infelizmente, o esporte brasileiro ainda é restrito aos detentores de poder econômico, claro claro, existem aqueles que vieram de famílias pobres e que foram descobertos ao acaso, como é o caso da Daiane dos Santos, mas mesmo assim, ela precisou de alguém que a patrocinasse, que investisse em seu talento... ao contrário dos americanos e dos chineses que desde a tenra idade possuem a escola como iniciação esportiva, nosso país é falho nesse aspecto, cá entre nós, em muitos outros tbm né...sou totalmente contra o Brasil como sede das OLimpíadas de 2016, mas não porque não somos recordistas em medalhas, não pq não batemos records como o Pheps, mas pelo mesmo motivo que vc expôs, pela falta de políticas públicas, não para conquistar medalhas, mas para a educação que é visto pela população brasileira como um bem secundário (parafraseando Florestan Fernandes), pq o sistema educacional do nosso país é totalmente privatizado, e só quem pode pagar mais é que conquista medalhas!!!

Airton Corn disse...

Ahhh... resposta muito comprida, não vou ler...

Jordana disse...

Parabéns pelo texto, Ginko!
Realmente o Brasil precisa fazer a lição de casa antes de receber um evento com esta representatividade.
O que dizer de atletas que precisam fazer um vale coxinha, um empréstimo, implorar por um patrocínio para continuar em busca de seus sonhos olímpicos?
Bjoss