"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



sexta-feira, 4 de julho de 2008

Quem será o Al Capone de Maringá?

ginko biloba

Caros amigos, hoje às 20:00 entra em vigor, pela primeira vez, a lei seca em Maringá. Nada de álcool nas quadradezas da UEM até depois do vestibular, mas, será que pega?

Em épocas em que o álcool assume status de droga ilícita, quem será que ganha este embate?

De um lado, a lei, que já não permite que motoristas bebam e dirijam (nem usem Listerine, nem comam bombom de licor etc.). De outro, mais de 10.000 estudantes que vêm prestar o concurso e outros tantos que são daqui mesmo e aproveitam o período como mais um carnaval no ano.

Em recentes entrevistas o comandante da Polícia Militar do Estado de São Paulo e o professor de Direito Penal Damásio de Jesus afirmaram que a lei sozinha não adianta nada!

De que adianta uma lei que não permite que o motorista beba se a polícia, em Maringá, tem apenas um (1!!!!!!!!!!!!!!!!) bafômetro e que ainda está em Curitiba (sim o filho único está em Curitiba). Será que os motoristas não se"conscientizariam" de forma mais eficaz se a polícia fizesse blitzes mais constantes nas saídas de festas, por exemplo?

O que é que vai fazer a polícia prender mais motoristas com 0 de álcool no sangue do que prendia com 0,7, se o bafômetro está a mais 400 (400!!!!!!!!!!!!) Km daqui? E será que tantos motoristas com 0,1; 0,2; 0,3; 0,4 ou 0,5 causavam tantos acidentes assim? Quem é que sabe isso?

O professor Damásio e o comandante da PM-SP têm a mesma opinião que eu (ou eu tenho a mesma que a deles?). Sem a fiscalização correta, nada pega!

Por que proibir a bebida perto da universidade e não deslocar um grande efetivo de policiais para simplesmente assegurar a paz (por que não?!) da região? Será que a polícia não tem mais o respeito da população (pelo menos dos estudantes?)? Será que a polícia tem medo de cair em tentação em meio a tanta bebida? Ou será que o medo é de acordar cedo e ter de ficar o dia inteiro lá? Mas eles não vão isso que qualquer jeito?

Eu acho que a simples presença da polícia já traria bastante sossego para a região. E para os que se preocupam, aqueles estudantes que quiserem beber vão beber. Se não lá, perto do Cesumar, na Tiradentes... É capaz até de alguns estudantes armarem festas do outro lado da Colombo, ou na frente do Condor na Paraná, ou no lugar da feira no estádio! Lugar é o que não vai faltar! Estudante é o que não vai faltar! Vontade é o que não vai faltar! O que vai faltar é polícia pra tudo isso, com lei seca ou molhada de cerveja!

4 comentários:

Anônimo disse...

Quero dar a minha humilde contribuição a este fato absurdo e ridicularmente tratado pelas autoridades; que é o fato de quererem tratar este assunto com repressão policial, como se os senhores intocáveis nunca tivessem sido jovens "juventude transviada contra os CROCODILOS DANDIS tupiniquins.Faltam eventos culturais na cidade.O pior é que ninguém vê o óbvio."CULTURA JÁ"

custela disse...

A medida só seria eficaz se fosse aplicada em outro país... no Brasil as coisas só acontecem se houver interesse de determinadas pessoas, então, a plicação da lei como aplicação de lei de fato, só deve funcionar nos primeiros meses, quando o assunto ainda está tendo proejça... daki uns dias, isso fica eskecido e a lei perde a aplicabilidade... como sempre, né...

Heloísa disse...

Essa "Lei Seca" só veio pra diminuir o tempo de lazer do brasileiro, que já tem tão pouco tempo disponível pra tal atividade...
Pra que ser tão extremista...Todo mundo bebe uma latinha de cerveja depois de um dia de trabalho estressante! E será que uma latinha de cerveja diminui tanto a concentração de um "cabra" a ponto deste ter que perder a carteira durante um ano ou ainda...ser preso?!
Penso que se apenas eles tivessem aumentado o número de policiamento, ao invés de "radicalizarem" na lei, teria sido uma medida muito mais eficaz e barata, pois com certeza terão que investir alguns milhares (milhões, pois obviamente vão superfaturar esse investimento tecnológico)de reais para alguns bebuns ou apenas pais de família que tomaram sua latinha de cerveja antes de voltar pra casa.
Claro, que possivelmente o governo vá economizar uma grana da saúde, já que não terá (espero) tanto acidente...SERÁ?!

Abração galera!

Helô.

Yu disse...

acho q o q diferencia o lícito do ilícito são os males q essas drogas trazem a sociedade, (com excessão da maconha q , acredito eu n seja pelos males e sim pela discriminalizacao), qnto ao álcool acho q este começa a criar sérios problemas pra sociedade, e não dá pra fingir q isso n existe, q as pessoas bebem pura e simplesmente para o lazer "uma" latinha, o q qro dizer galera, é q sou afetada com essa maldita lei pq afinal de contas, eu bebo, todos os meus amigos bebem (é...alguns n), só q depois dessa lei tbm, comecei a pensar sobre a minha sorte de nunca ter acontecido nada qndo voltava pra casa dos bares da uem chapadona... n dá pra fingir q o álcool n faz mal, n dá pra esquecer quantas pessoas inocentes já morreram no transito por causa desses inconsequentes pais de família q n conseguem ficar na primeira e unica latinha, e qntas mães, esposas, filhos e filhas sofrem por esses mesmos pais q chegam em casa bebados pq n conseguem ficar na primeira latinha???...eu sei q posso ser taxada de conservadora, de radical e tal, mas como disse antes, estou de fato sendo afetada com essa lei, mas acredito ser importante para repensar na minha falta de limites, e de beber com responsabilidade, sem por a vida de outros e a minha em perigo!!