"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



sábado, 26 de julho de 2008

Era uma vez um sonho

caco modula

Milhares de torcedores e a expectativa de mais uma conquista, como é habitual. Ginásio lotado e uma pedreira pela frente: a seleção masculina de vôlei enfrentando o time estadunidense. Os números já adiantavam o que teríamos pela frente: Estados Unidos foi a seleção que mais venceu o Brasil desde que Bernardinho assumiu a equipe.

Mas tudo bem, porque nossa seleção tem uma vantagem imensa sobre a deles. E não é que veio o jogo, os estadunidenses mostraram que têm um voleibol de altíssimo nível e venceram o Brasil. Estamos fora da final da Liga Mundial de 2008. Talvez venha a medalha de bronze. O terceiro lugar tão amargo quanto o do Pan-americano de 2003, quando perdemos para a Venezuela na semifinal, e muito mais triste, porque nosso time jogou em casa. Perdeu em casa.

O levantador brasileiro, com toda a experiência que tem, disse que é preciso aprender com os erros e melhorar o que não deu certo. Disse também que o esporte é feito de derrotas e de vitórias, mas que os resultados ruins motivam a equipe a superar os limites. E isso todos já vimos, quando o assunto é a seleção brasileira de vôlei.

O sonho de vencer a Liga Mundial aqui no Brasil mais uma vez não se realiza. Decepção pelo sofrido resultado de três a zero. Tristeza por não vermos mais uma vez no degrau mais alto do pódio o nosso time, que, diga-se de passagem, ééééé o melhor do mundo... Ao mesmo tempo, temos sempre a certeza de que mesmo não recebendo a medalha de ouro desta vez, temos um time de garra, que luta – como tem feito desde o início –, que conquista bons resultados com atuações brilhantes. Temos sempre a certeza de que nossa seleção é campeã.

Quem dera se tudo em nosso país funcionasse assim. Era uma vez um sonho.

Por hoje é só.

4 comentários:

Luis Amaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Amaral disse...

Caro Caco
Nos brasileiros ainda não conseguimos assimilar o golpe da derrota. Só aprendemos aceitar a vitória, ainda mais em um esporte em que somos favoritos. Não aceitamos que assim como nós, nossos adversários também treinam e estão sempre buscando a perfeição. A derrota não pode ser colocada como o fim, e como vc mesmo coloca, deve- se ressaltar a garra e a determinação que não faltou a nossa seleção de voleybol. Que venha o ouro olímpico. Brasil!!!!!!

Fernando disse...

É meu caro cunhado Caco, ninguém é imbatível! Todos temos nossos pontos fracos!
Em tempos de Olimpíadas, rumo ao bi da Seleção de Volei, vale relembrar um provérbio chinês: "O difícil não é chegar ao topo, mas permanecer nele!"

Fernando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.