"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



sexta-feira, 18 de julho de 2008

Desamparados do meu Brasil varonil

caco modula

Tarde da noite. Alguém bate em sua porta. Por que abrir? Melhor fingir que não ouviu e continuar dormindo. Pois era isso que Adilson Ferreira de Melo deveria ter feito quando ouviu as batidas na porta. Em vez disso, recebeu dois homens, um armado com uma espingarda e outro com uma faca. Um tiro no maxilar matou Adilson e uma facada, a esposa dele.

Aconteceu recentemente em Santa Mônica (município próximo a Paranavaí) e os dois foram enterrados em meio a revolta e o medo da população da pequena cidade do noroeste do Paraná. As duas filhas do casal presenciaram os crimes e a história delas com certeza mudou para sempre, porque estão agora sem pai nem mãe. Uma tem seis anos e a outra dez.

Quando comecei a escrever este texto, tinha a intenção de falar sobre segurança, criminalidade etc. Mas acho que o fato de duas crianças verem os pais sendo assassinados e perceberem que a partir dali estarão sozinhas é tão chocante quanto a falta de segurança no país todo. O que vai ser dessas duas? Família? Políticas públicas? Quem vai educar? É difícil saber.

Outro dia duas pessoas falavam sobre jovens que estão deixando um reformatório para dependentes químicos. Alguns não têm para onde ir, não têm o que fazer e dificilmente terão boas oportunidades de estudos, emprego e atividades socialmente importantes. A solução apontada por uma das pessoas que tratavam da questão dos jovens: nenhuma.

Isso é só uma pequena porção do problema. Enquanto não houver oportunidades iguais para a população, enquanto a distribuição de renda do nosso país for uma das mais desiguais do mundo, enquanto um bando de porcos estiver conduzindo as ações que definem o rumo da população, nada disso vai mudar. E tem muita gente que aceita programas sociais de meia tigela achando que essas enganações podem resolver nossos problemas. Argh... Fiquei irritado agora e vou parar de escrever, ou essa ladainha vai longe.

Por hoje é só.

Um comentário:

Carolinda disse...

É Caco, td o q vc descreveu é realmente, irritante, revoltante e "tristante" (rsss).
Se eu ficar pensando nessas duas meninas.. pfff.. lágrimas s/ fim. É de cortar o coração mesmo.

Agora, o que mais me chamou a atenção no texto foi a respeito dos programas sociais de meia tigela q vc comentou. Essa é uma questão ignorada, muitas vezes, pq a gente acredita q o importante é fazermos alguma coisa por quem precisa, mas nunca paramos p/ pensar se isso é de fato eficiente ou mais um "programinha" tomando lugar de outro q daria resultados mto maiores por meios mais sérios.
ISSO TBÉM ME REVOLTA DMAES.

Mas por outro lado, qquer atitude sua, minha, dele(s), dela(s), que venha ajudar a mudar a realidade sofrida de alguém já é SUPER!

Mas tenhamos cuidado ao abrir a porta p/ alguém.. sejamos cautelosos conosco mesmo, ao máximo, p/ q possamos cuidar dos outros.

Texto maravilhosoooo