"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



terça-feira, 3 de junho de 2008

Põe na balança

leda nius

Hoje pela manhã, acordei sentindo o corpo um pouco mole, olhos pesados...espirrei. Era sono e alergia, mas poderia ser gripe (isso se eu não tivesse sido vacinada). Sabe-se que a vacina nada mais é que um pouco do próprio vírus, que irá criar no organismo a defesa, a imunidade. Talvez eu esteja nesta fase.


Vindo para o trabalho, pensando nisso, eu comentei com o Caco sobre uma frase que li ontem em um artigo: “o que diferencia o remédio do veneno é a dose”. Já pensou no perigo? Na vida tudo é assim: o excesso só chama excesso porque é demais! É preciso ter equilíbrio.
É como o ciúme no relacionamento... depois de uma certa quantidade, ele deixa de ser um tempero, um cuidado e passa a ser sufocante. Isso me faz lembrar de outra conversa, dessa vez com uma amiga, falando de controle emocional, ansiedade, maturidade.
Equilíbrio... vá devagar, espere um pouco mais, certifique-se. É fácil falar isso quando você está fora de uma situação. Ver os fatos com neutralidade, imparcialidade, checar os dois lados... isso tudo faz parte do meu “treinamento” para a batalha que é ser jornalista. Mas quando a situação é com você, sempre tem um lado que pesa mais.
A verdade é que a profissão de jornalista é cheia de “ética”, “regras”, mas na prática é muito diferente. Criticar, comentar, dar soluções é fácil estando fora da problemática.
Este texto é sobre trabalho? Vacina? Veneno? Ciúme? Maturidade? Rebeldia? Talvez tudo isso, talvez nada. É apenas para dizer que a melhor forma de analisar uma situação, seja ela qual for, é tentando olhar de fora. Como você vai avaliar o peso de algo se você estiver também em cima da balança?

11 comentários:

Big disse...

Gostei muito do texto, realmente so se consegue resolve uma situação, quando vc se afasta um pouco e olha de fora o problema. Isso já aconteceu comigo. Parabens pelo texto, muito bom mesmo!!!

Finito Carneiro disse...

É aquela velha história: "A mesma luz que ilumina é a que também pode cegar"

Ótimo texto!

Anônimo disse...

É dificil falar em ética qdo o assunto é conveniente p/ nós. Ainda na faculdade (há 4 anos) era o q um dos meus professores sempre dizia: "Nem sempre é eficiente definirmos ética pq o q ela significa para um pode ser exatamente o contrário para outro".

Quando falamos em resolver situações, eu concordo plenamente q é muito mais sensato olharmos por fora, "o todo". No entando, acredito que uma maneira simples de descobrirmos se estamos indo pelo caminho certo e não estamos ferindo possíveis "éticas" , sejam elas no campo profissional ou em relacionamentos em geral, é primeiramente detectar se nos compete solucionar a situação em questão.

Texto muito bom mesmo "Ledinha" hehehe

Carolinda disse...

DE ANONIMO NAUM TENHO NADA... AE EM CIMA SOU EU MESMO... CAROLINDAAAAAAAAAAAAAAA

droga de pc.. travou!!! O "cómenti" foi anets mesmo de conseguir colocar meu nome...
:/

custela disse...

só sei q outro dia subi na balança e estava 3 quilos mais gordo... afff... e preciso perder peso até sábado... será? será???

Moça Munita disse...

Super pertinente o comentario custela.
Você é demais (barrigudo demais quase)
huauhauhauhahua

Fernanda disse...

Eu acredito que para tudo na vida é preciso ter EQUILÍBRIO! O famoso "know how" cabe certinho aqui: nós temos que saber quando agir, que maneira agir, se devemos agir, se dessa tal forma está certo, se é isso msm...afff..tanta coisa! Fácil? Não! Nunca! Às vezes. Porém, necessário. Na verdade, quando se amam, se importa. Se se importa, tenta ajudar e tenta preservar. Portanto, uam das melhores maneiras de preservar é respeitar e entender. Tudo o que é demais...estraga! Acreditem, estou procurando meu "know how", meu equilíbiro! haha.. Adorei o texto, Amanda! E vc sabe disso.. ;) Beijos!

Wall disse...

Nooooossssa...
Por acaso vocês sabem que o produto do jornalista é a credibilidade. Assim que vocês querem chegar a algum lugar?
Depois ficam desempregados e culpam a sociedade "podre" de excluí-los. Xô pra vocês!!!!

Boca Livre disse...

Querido Wall, nós já estamos em algum lugar.
Mas obrigado pela preocupação.

Anônimo disse...

Nossa...será que esse (a) Wall ai está em algum lugar? Me parece mais perdido..que pena! Boca...vcs estao de parabéns!!!

T. Hawthorne disse...

:)

Adorei o texto. E sim... Concordo plenamente. Descobri isso quando olhei pela primeira vez em um microscópio... Quanto mais perto dos olhos, mais longe de qualquer percepção.

Veneno=Antídoto

Viva o EXAGERO!!!


:)


Bejão "amandita". (tem até um chocolate com esse nome... ;)



T.