"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



sábado, 26 de abril de 2008

A Idade-Média é agora

adalberto mirinda

Hordas de bárbaros sedentos por sangue gritam palavras de desordem e tentam invadir o local como se a temporada de caça às bruxas estivesse aberta.
Esse parece mais o roteiro de um filme sobre o folclore do Velho Mundo, no qual vikings, helvéticos, gauleses e bretões se degladiam para mostrar a sua superioridade. Mas não é.

O primeiro parágrafo nos remete a este ano mesmo. Bem na frente da casa dos Nardoni.
Dezenas e centenas de pessoas, com suas tochas acesas na mão, prontas para invadir a residência em que o casal se encontra, prontas para o linchamento coletivo.
Para quê, meu Deus?
Para vingar a morte de alguém que nunca viram na vida?
Sim, eu também me choquei com a brutalidade do infanticídio. Mas o meu papel pára por aqui. Não vou sair dando de dedo na fuça dos outros.
Quem eles pensam que são? Os vingadores?

Cabe às pessoas. À mim, pelo menos, prestar mais atenção a quem vive à minha volta e amar mais. Só isso. Esse é o meu papel nessa história. Afinal de contas, não estamos na Idade Média. Não podemos linchá-los em praça pública.

Na tevê, vi um senhor segurando um bolo de aniversário, com o número 6 em cima (ela completaria 6 anos se estivesse viva). Pessoas segurando faixas onde se lia: "Isabella, nós te amamos!"
Eu não amo Isabella.
Isso só tem um nome: Hipocrisia.
Ou então é apenas uma forma que a população encontrou para exorcizar os seus demônios: Aquele homem que chega bêbado em casa e nem dá um beijo de boa noite em sua esposa. Aquela garota que não quer cuidar do irmãozinho porque tem que dar pro namorado. Aquele filho que não dialoga com o pai.
São pobres coitados que não conseguem enxergar o mais básico de tudo: A própria vida medíocre.

Agindo assim, essas pessoas não enxergam as Isabellas que estão à sua volta. Mil Isabellas morrem a cada minuto por causa disso. É fácil acusar os outros. Principalmente quando estamos cegos e não percebemos que também fazemos o que estamos acusando o outro.

Não me redimo de minha culpa. Eu também faço. E você também.
Assim, me dou o direito de editar o pensamento de Caetano Veloso na música Haiti, em que ele profere seu já famoso O Haiti é aqui.

Se o Haiti é aqui, a Idade Média é agora.

18 comentários:

Leila disse...

É! Fazer justiça com as próprias mãos parece ser super divertido, as pessoas deixaram de seguir suas vidas pra fazê-lo...
Tá aí!! Pra mim, quem se reuni a massa pra gritar justiça por quem nunca viu, só pode não ter mais nada pra fazer e vagabundagem tbm é feio, né?

athena_ve disse...

pode ser... mas pode ser tbm uma renovação de valores e sentimentos nessas pessoas... sentimento de justiça ou não, ainda são capazes de se revoltarem, de largarem as suas "vidinhas medíocres" para gritarem por algo em que acreditam!!! Vejo isso como uma coisa positiva, isso mostra que as pessoas não estão passíves diante a tanta violência, não são cúmplices, não apenas assistem à tv e comentam com os vizinhos, amigos, não... estão lá protestando, clamando justiça, fazendo o que acho que deveríamos fazer... acredito que se não fosse toda essa repercussão, aí sim não haveria justiça, era só jogar por baixo dos lençóis e usar de todos os artifícios jurídicos para abafar o caso... além disso, nossa sociedade possui leis, regras, constitucionais ou não temos que seguir à elas para não sermos excluídos, pressupostamente o casal não conseguiu seguí-las, então, as pessoas só estão cumprindo seus papéis de agentes sociais...

Danyani disse...

O que está acontecendo nesse caso é uma super exposição, as pessoas que nem a conheceram protestam o ato de violência, concordo que o caso chocou a população, mas isso não justifica parar a vida para protestar e principalmente dizer eu te amo a quem nunca conviveu...o Brasil tem muito que crescer e se os brasileiros cuidassem mais das pessoas que vivem ao seu redor, que convivem com estes, teríamos sem dúvida um País melhor.

custela disse...

acho a vontade de protestar e de lutar pelos direitos da sociedade extremamente relevante. é preciso, sim, sair às ruas para pedir justiça e para exigir que as leis sejam cumpridas. O que me deixa um tanto quanto irritado especificamente neste caso da isabela é que há tantas coisas tão brutais acontecendo em nosso país, tantos crimeis, injustiça social, corrupção... mesmo assim, a sociedade permanece passiva, não se manifesta, não briga por melhores condições, mas é só a imagem de uma garotinha sorridente assassinada ser explorada com tanto afinco, que todos sentem a necessidade de manifestar a indignação diante de um mundo tão cruel e injusto. protestar, sim, mas pelos motivos certos e da maneira certa...

Silvio disse...

Concordo com o custela.
Athena_ve, você realmente acha que a população que grita por justiça quer justiça?

Trazendo o fato para a nossa realidade, porque ninguém faz nada contra a roubalheira que é a Câmara de Maringá?

athena_ve disse...

Silvio... não sei dizer se o que estão fazendo é realmente algo que possamos designar como "justiça", eu acredito mesmo, que só estão cumprindo seu "papel social", como diria Durkheim crimes são necessários para a "saúde" da sociedade, justamente pq são nesses momentos que as pessoas gritam, colocam à prova seus valores... já disse anteriormente sobre o que penso de toda essa exploração midiática, tbm me revolta saber que existem tantos outros crimes tão e até mais brutais por aí sem a mínima atenção, só que acontecem com pobres, com criminosos, negros, drogados e isso realmente não dá audiência...Mas imaginem se isso não causasse nenhum sentimento nas pessoas?? Não seria mais trágico?? Acredito na justiça como algo subjetivo, o que é justo pra mim pode não ser justo pra vc!!! Quanto a sua outra questão, existem pessoas que se preocupam sim com a "nossa realidade", entra no site do observatório das metrópoles, procure alguns jornais que não seja o "O diário", ou qualquer outro que tenha vínculos com a prefeitura pra saber se fazem denúncias... fiz parte da pesquisa do bairro Santa Felicidade, vc sabe o que tá pra acontecer lá?? Vc sabe o que pessoas da "nossa realidade" estão denunciando por lá?? Sinto muito parecer grossa ou arrogante, mas me irritou muito vc dizer que "ninguém faz nada". Pq se eu começar a acreditar nisso, REI, juro que dessa vez viro hippie!!!

athena_ve disse...

a propósito... pode me chamar de Yú...

=^.^= Muni=^.^-= disse...

Tudo que tenho a dizer sobre esse caso enfadonho e tanta discussão, é que quero ir para a Ilha do Mel com a Yu...
japa vc me leva?
do resto, ja desliguei a TV..quem é Isabella???
Pessoal...desculpe minha falta de interesse proposital..mas nao dá neh gente. Agora é a vez do "Ronaldinho e seu treino secreto com bolas no motel" haha
BJKS

Finito Carneiro disse...

Ahhh Yu, porque as pessoas tendem a esperar tudo dar errado pra virar hippie?

A Leila sabe que, se eu pudesse, largaria tudo e iria morar na Ilha do Mel agora. Mas lá ninguém quer vender casa... eu sei, já me informei sobre isso.

huauauahuaauhau

athena_ve disse...

não tiago... as coisas n precisam dar errado pra gente qrer uma vida longe de todos esses processos sociais e capitalistas... podemos ir agr e já... mas o difícil é nos livrarmos desses mesmos processos!!! Acha q eu nem vou mais ter dinheiro pra ir ao salão de blz, ou comer mc donalds, ou tomar coca-cola, nem a cervejinha do fim de semana!!! Como abandonar esses prazeres mundanos em troca de paz e liberdade???

Leila disse...

Sabe q eu não teria muita dificuldade em largar tudo isso e sumir?
As vzes fico nauseada com essas coisas, vendo mulheres gastar R$500 em salão de beleza, R$2.500 com o cachorrinho no PetShop e R$0,00 em obras sociais, nem ao menos separa um lixo orgânico do reciclado...
Acredito q em breve não suportarei mais o meio urbano, aos poucos me vejo cada vez mais longe daqui...

Com relação ao tema anterior, acredito q aqueles q realmente pensam na sociedade como um todo, não tariam usando uma tragédia particular pra mostrar q se importam, ninguém tá lá em Brasilia o modo como nossos parlamentares regem o Brasil, ninguém tá preocupado com o escândalo da Vale do Rio Doce, nem ao menos entram nos sites do senado e da câmara pra ver oq eles andam "fazendo"...

athena_ve disse...

ahh Leila... novamente a discussão do "ninguém"... até quando vms ignorar as ações dos outros simplesmente pq nós não fazemos a nossa parte???

custela disse...

concordo com a yu... é facil falar q ninguem faz nada, porque parece q nos eximimos de nossa falta de participaçao na vida politica do país...há, sim, quem lute, proteste e busque mudanças, o problema é q mtos de nos ficamos acomodados com a vidinha "facil" q levamos e deixamos de ir atras de justiça social da forma como deveriamos fazer, se realmente quisermos um mundo mais igualitário... ilha do mel, maringa, ou qualquer outra cidade do mundo: se nao fizermos nossa parte, nao adianta fugir, os problemas vao sempre existir...

Antonio Carlos disse...

Discordo com o comentário das 10:10.

Pensando assim, você se coloca a favor do evento "Cansei!", em que ricaços ergueram uma falsa bandeira aproveitando a tragédia do caos aéreo. Não é bem assim.

Todo mundo quer sair gritando por qualquer motivinho besta.
Gritam por justiça? O pessoal não sabe nem o nome do Ministro da Justiça. Vai gritar justiça pra quem? Pra Rede Globo colocar no Jornal Nacional? É isso mesmo o que eles querem.

Anônimo disse...

E o padre???
Já esqueceram do padre[...]

athena_ve disse...

Antonio Carlos, leia o comentário das 2:22!!! Concordo com vc sobre a ou as forma de legitimação que algumas pessoas dão ao que chamamos de justiça... mas afinal de contas, o caos aéreo n estava um caos?? Qro dizer com isso q todo e qqr tipo de classe reivindicam por aquilo q lhes beneficiam... falsa bandeira ou n ningm luta em favor do direito do outro, isso é errado?? E pq fazemos isso??

De disse...

Muito bom o texto...............
achei que fosse do Rei ou do Pedro, mas é do finito, quem é finito? Bom, parabéns finito

Finito Carneiro disse...

Finito é o cara que perdeu a blusa no banco.

Ahhhhh, que raiva!
Bem no dia do meu aniversário!!!