"Então, comeu kibe cru e sentiu a vida nascer. Desse dia em diante tomou gosto pela vida e só passou a comer..." (Trio Mocotó)



quarta-feira, 9 de abril de 2008

Pelos poderes do olfato do gordinho

adalberto mirinda
Antes de eu ser um boca aberta do Boca Livre, trabalhei como entregador de pizzas, no disque-pizza do meu irmão mais velho.
Durante o meu ofício, presenciei histórias um tanto quanto pitorescas, e contá-las-ei aqui.
Bem, contarei uma só que já está de bom tamanho:

Certa feita, fui entregar uma pizza num prédio logo ali, de quem da rua olha. Entrei no elevador com a mochila da pizza nas costas e subi até o último andar.
Entreguei a pizza e voltei ao elevador, que começou a descer, quando, de repente, ele parou no andar de baixo e abriu a porta. Entraram mãe e filho. Gordos.
O elevador voltou a descer.
Percebi que a mulher ficou encasquetada com algo, como se estivesse farejando algo no ar. Então, ela disse:
- Hum... Que cheiro de pizza...

Realmente, a mulher tinha um faro melhor que o do Luciano Huck. Expliquei à ela o motivo do forte cheiro da pizza e aproveitei e fiz uma propaganda da pizzaria (Disque-pizza Vesúvio - 3226-9667 (Maringá-PR) e todos ficaram felizes.

Quando achei que tudo estava em sua normalidade, eis que o garotinho gordinho também começou a apurar o olfato e a farejar o ar, assim como a sua mãe.
Poucos segundos depois, o gordinho deu o seu veredicto:
- É calabresa!!

É, queridos(as) leitores(as). Depois dessa, passei a respeitar muito mais o olfato dos gordos.


Beijo do gordo! E um cheiro também!

Um comentário:

=^.^= Muni=^.^-= disse...

Hhahahaha
pensa essa mãe e filho podem acabar ficando em situações constrangedoras dependendo o local onde estiverem. Ja viajei aqui...mas eu no seu lugar daria um peido e faria um desafio: será que o gordinho acertaria o que você havia comido na janta?
hahahahahahaha